A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

TABOADO  

Lagoa. -Entre aquelas formadas pelos entulhamentos dos depósitos da praia que se alonga nas falésias do Jequiá, no município de São Miguel dos Campos. Pobre em peixes, crustáceos e moluscos. Tem 2.000 braças de comprido e 1.000 de largura.- Uma das componentes da Bacia das Lagoas, que compreende sete cursos de água do tipo igarapé e que terminam em lagoas, segundo o Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABOCA FILHO, José Francisco  

(Pilar - AL 24/07/1851 - Pilar ? 09/07/1910). Farmacêutico, professor, poeta. Filho de José Francisco Taboca e Antônia Maria Taboca. Na sua cidade natal fez seus estudos de primeiras letras, bem como os preparatórios. Matricula-se na Faculdade de Medicina da Bahia, onde recebe, a 11/12/1873, o título de farmacêutico. Volta ao Pilar onde começa a exercer a profissão, até o final de sua vida. Foi adjunto de Promotor Público do Pilar. Em 1878, era lente de Álgebra e Geometria do Colégio São João, na mesma cidade. Entre os pseudônimos que utilizou, o mais conhecido foi ALI-BÁ-BÁ, mas publicou ainda muitas poesias e ensaios literários com as iniciais T.B. Colaborou em todos os jornais do Pilar, da sua época: Sete de Setembro, Jornal do Pilar, A Tesoura, Jornal do Comércio, Lidador, O Vigilante e o Vinte de Julho.Também colaborou na imprensa de Maceió. Pertenceu à Sociedade Fraternidade e Instrução dos Caixeiros do Pilar, bem como ao Grêmio Literário Pilarense, fundado por Oliveira e Silva. Foi, ainda, cenógrafo e ator teatral. Sócio correspondente do IAGA. Moacir Medeiros de Sant`Ana, em seu livro Pilarenses Ilustres, transcreve a única poesia que conseguiu encontrar, um Soneto publicado no Jornal do Pilar de 02/07/1876.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABOCA, Bacia do Riacho da  

Integra os municípios de Olho d-Água Grande, São Brás e Traipu. Além do rio que lhe dá o nome, sem afluentes importantes, não tem outro rio significativo, segundo o Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABOCA, Feliciano da Silva  

(?). Deputado estadual nas legislaturas 1893-94 e 95-96.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABOSA, Márcio Fernandes  

(Caruaru - PE). Arquiteto. Graduação em Arquitetura e Urbanismo na UFAL, em andamento desde 2007. Artes Plásticas, SESC (2006). Pesquisador na UFAL, desde 2009. Com Digitais Urbanas: Onze Anos de Estudos da Paisagem, juntamente com G. B. Sobral, A. M. Jardim, E. A. Albuquerque, L. E. S. Almeida, A. R. C. Cavalcanti, C. Plech, F. C. Cerullo, L. M. M. Cerqueira, J. P. B. Costa, J. F. Lima, participou da exposição na Faculdade de Arquitetura, Campus da UFAL, de 11 a 13/11/2009.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABULEIRO  

Clube de futebol. Participou do Campeonato Alagoano de 1957.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABULEIRO  

Lagoa. Entre as formadas por entulhamentos de terraços flúvio-marinhos em área onde deságuam vários riachos e, depois de tapados, unem-se por meio de canais que formam a continuação do Rio Poxim. Localizada no município de Coruripe, é de pequena extensão. Seria muito piscosa.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TABULEIRO DOS NEGROS  

Comunidade quilombola em Penedo. Registrada no Livro de Cadastro Geral n. 09, Registro n. 925, fl. 39, em 01/03/2007. Publicada no D, O. U. em 13/03/2007. Possui 425 famílias. Catalogado pelo Mapeamento Cultural, SECULT-AL.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TAFFAREL, Celi Nelza Zülke  

(Santa Rosa - RS 08/10/1951). Escritora, professora. Filha de Willy Paul Zülke e Ema da Silva Zülke. Graduada em Educação Física pela UFPE (1976). Especialização em Ciências do Esporte pela UFPE (1981). Mestrado em Ciência do Movimento Humano pela UFSM (1982). Doutorado em Educação pela UNICAMP (1993). Pós-Doutorado pela Universitat Oldenburg - Alemanha (1999). Obras: Prática Pedagógica e Produção do Conhecimento na Educação Física & Esporte e Lazer, juntamente com M. G. Chaves e S. A. S. Gamboa (orgs.), Maceió: EDUFAL, 2003, v. 01, onde escreveu: A Pesquisa em Rede: O Caso Lepel (Linha de Estudo e Pesquisa em Educação Física & Esporte e Lazer), Uma Experiência Interinstitucional e Interdisciplinar, juntamente com S. A. S. Gamboa, M. F. Chaves; Intercâmbio Científico & Tecnológico em Educação Física & Esporte e Lazer: A Cooperação na Construção de Redes a Partir da Lepel/Faced/Ufba, juntamente com M. Titton, M. F. Chaves e S. Rosso; Parâmetros Teórico-Metodológicos para o Ensino e a Pesquisa em Educação Física & Esporte e Lazer, juntamente com C. L. Santos Júnior, M. O. Escobar; e Avaliação Institucional: Estudo Dos Cursos De Formação De Professores De Educação Física Do Estado Da Bahia, juntamente com B. S. Ornellas, M. Titton, J. N. N. Santos, S. Rosso, A. C. S. Cruz, S. Domingues, p. 25-44, 51-56, 59-80 e 165-166, respectivamente; Prática de Ensino: Formação Profissional e Emancipação, juntamente com M. F. Chaves e M. F. C. Gamboa, Maceió: EDUFAL, 2003, uma 2ª edição em 2011. Capítulos de livros: Projeto Histórico - Projeto de Escolarização e Práticas Pedagógicas Abertas a Experiências Sociais: Um Desafio; Pedagogia do Movimento Diferentes Concepções, in Pedagogia do Movimento Diferentes Concepções, Márcia Chaves Valente (org.), Alagoas: EDUFAL, 1999, v. 1, p. 47-50; Educação do Campo e Movimentos Sociais: Base Teórica de Construção das Políticas Públicas para a Formação de Professores, juntamente com C. L. Santos Júnior, in A Pesquisa Educacional e as Questões da Educação na Contemporaneidade, Miguel André Berger (org.), Alagoas: EDUFAL, 2010, p. 171-198; Teorias e Práticas Pedagógicas: Realidade e Possibilidades, juntamente com C. L. Santos Júnior, E. F. F. Rocha, F. Q. Almeida, L. A. T. Valencia, P. Fensterseifer, S. Lacks, V. Bracht, in Teorias e Pesquisas em Educação: Os Pós-Modernismos, Márcia Chaves-Gamboa, Silvio Sánchez Gamboa (orgs.), Alagoas: EDUFAL, 2011, v.? p. 89-122.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

TAIEIRA  

-Dança de origem africana que louva São Benedito e Nossa Senhora do Rosário. Surgiu na Bahia de onde se espalhou para outros Estados, sendo hoje, em Alagoas, poucos os grupos que ainda existem pelo interior. Como no Pastoril, tem dois cordões: o azul e o encarnado. Participam uns 20 elementos, não podendo faltar a Mestra, que dança no centro, o Rei e a Rainha do Congo, a Rainha de Portugal, o Mateus, a célebre Catirina, o Mestre, a Crioula - uma boneca vestida de baiana -, e demais figuras criadas pelo organizador da brincadeira. Aquelas figuras que também existem no Reisado vestem-se da mesma forma dos personagens daquele folguedo. As demais vestem-se de blusas brancas, xales e saias de ciré na cor do seu cordão. As músicas lembram os cantos e danças dos negros escravos nas senzalas, após um dia de trabalho.-


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

<< Anterior 1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9