A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

RAMALHO, Pacheco  

(AL?). Deputado estadualnas legislaturas 1923-24; 27-28 e 29-30.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMALHO, Poliana  

(AL?).Com o conto Fé, participou do livro O Conto das Alagoas, Recife: Edições Bagaço, 2007, Carlito Lima/Edilma Bomfim (Orgs.), p. 224- 229.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMALHO, Rachel Peixoto... Rosendo  

(Maceió - AL). Escritora, advogada, professora. Graduação em Administração, UFAL (1996). Graduação em Direito, CESMAC (2006) com o TCC: Legalidade dos Testes Psicoténicos nos Concursos Públicos na Área da Segurança Pública. Pós Graduação em Marketing, ESPM (1999). Pós-graduanda em Direito do Trabalho e Previdenciário, CESMAC, desde 2013. Membro do IBDFAM- Instituto Brasileiro de Direito de Família. Diretora de Relações Trabalhistas da ABRH/AL. Supervisora Administrativa, TJ-AL (1999-2006). Assessora Técnica, MPE-AL (2006-10). Professora na FMN, desde 2013. Sócia da Agiliza Serviços Gerais (2000-03). Advogada, desde 2011. Professora na AESA, desde 2013. Artigo em periódico: Legalidade dos Testes Psicotécnicos nos Concursos Públicos na Área de Segurança Pública, in Revista Letras Jurídicas, Maceió: Imprensa Oficial, 1970, Ano. 8, N. 15, agosto, p. 123 - 143


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMALHO, Ricardo Luiz Rocha... Cavalcanti  

(Pombal - PB 13/11/1950) Poeta, engenheiro agrônomo, ambientalista. Filho de Aureliano Ramalho Cavalcanti e Aiodia Rocha Ramalho Cavalcanti. Primeiros ensinos foram na cidade natal. Graduado em Engenharia Agrônoma, UFPB (1974). Vive em Alagoas, desde 1975. Funcionário da EMATER (1975-2000). Gerente agrícola da Cooperativa Pindorama (1991-95). Superintendente Adjunto da SMTT (1997-98). Diretor Administrativo-Financeiro da COMURB (1998-2000). Consultor do SEBRAE-AL (1999-2004). Diretor Presidente do Movimento Minha Terra (2000-04) que em 2013, passou a chamar-se Instituto Terra Viva. Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento e Pesca (2003). Secretário Adjunto da Secretaria Executiva de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Naturais (2004). Secretário Municipal de Proteção e Meio Ambiente (2005-11), na gestão do prefeito Cícero Almeida. Com as poesias Constatação, Dhya e Linha do Tempo, participou de A Poesia das Alagoas, Recife: Edições Bagaço, 2007, Carlito Lima/Edilma Bomfim (Orgs.), p.186- 187.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMALHO, Rodrigo de Araújo  

(AL?). Médico. Estudou na Faculdade de Medicina do Recife-PE, mas concluiu seus estudos na Faculdade de Medicina de Salvador-BA. Retorna a Maceió e passa a trabalhar na Santa Casa de Misericórdia. Durante trinta anos, atuou no Hospital de Pronto Socorro - do qual foi Diretor -, como cirurgião de urgências, sendo um dos pioneiros na neurocirurgia e na cirurgia torácica. Destaca-se também sua atuação como urologista, sendo um dos precursores da especialidade no Estado. Patrono da cadeira nº 32 da Academia Alagoana de Medicina. Teve trabalhos publicados na Revista da Sociedade de Medicina de Alagoas.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMOS, Ana Flávia Jordão  

(AL 27/08/1986). Escritora, Professora. Filha de Ronaldo Hamilton Ramos e Silva e Alcina Maria de C. J. R. e Silva. O ensino fundamental e médio realizou no Colégio Santa Madalena Sofia (2003).Graduação em Direito, UFAL (2009). Mestrado em Direito, UFAL (2010) com a dissertação: Crítica Às Políticas Criminais de Drogas À Luz dos Princípios Constitucionais Penais do Estado Democrático de Direito. Estágio TJ/AL (2006-08), no MP/AL (2008-09) e no MPF- PR/AL (2008-09). Monitora na UFAl (2007-08). Professora: na FMN e na SEUNE, desde 2011. Obra: Artigo em periódico: Considerações Sobre o Tratamento Jurídico do Inimigo Interno: Limites às Restrições aos Direitos Fundamentais no Estado Democrático de Direito, in Revista do Mestrado em Direito (UFAL), 2010, v. 1, p. 9-26, 2010.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMOS, Arthur... de Araújo Pereira  

(Pilar - AL 07/07/1903 - Paris - França 31/10/1949). Folclorista, antropólogo, médico. Filho de Manoel Ramos de Araújo Pereira e Ana Ramos de Araújo Pereira. Inicia seus estudos, em 1909, em escola pública e depois no Externato Progresso Pilarense. Estudos secundários em Maceió, no Instituto Maceioense, no Colégio S. João e no Liceu Alagoano, onde conclui os preparatórios (1919). No ano seguinte, de março a junho, lecionou Português, do nível primário, no Colégio São João, em Maceió. Diploma-se pela Faculdade de Medicina da Bahia (1926) com defesa da tese Primitivo e Loucura. Como estudante, funda, em 1923, juntamente com Abelardo Duarte, Mário Magalhães da Silveira, João Lessa Azevedo, Eduardo Santa Rita, entre outros, a Revista Acadêmica, dedicada à ciência e à literatura, tendo sido publicada até 1926, quando da formatura do grupo responsável pelo lançamento do periódico. Em 1927, médico alienista do Hospital S. João de Deus; em 28, medico legista do Instituto Nina Rodrigues, ambos em Salvador, tendo neste último iniciado estudos e pesquisas sobre Psicopatologia Forense, Medicina Legal, Criminologia e Antropologia. No concurso para livre docente de Clínica Psiquiátrica, da Faculdade de Medicina da Bahia, em 1928, é aprovado com a tese A Sordície nos Alienados, Ensaio de uma Psicopatologia da Imundície. Foi uma contribuição bem recebida pelo mundo científico brasileiro e com repercussão no exterior, com comentários de Smith Ely Jelliffe, de New York; Hélvio Fernandez, da Revista de Neurologia Psiquiatria y Medicina Legalda Argentina; A.Mendinacelli, fundador da Revista de Neurologia, Psiquiatriado Uruguai; oJournal of Nervours and Mental Disease. Um dos principais representantes, em antropologia, da corrente culturalista, se distingue, ainda, pela aplicação da psicanálise ao estudo dos fenômenos sociais. Um dos fundadores e redator-chefe da revista Arquivos do Instituto Nina Rodrigues. Transfere-se para o Rio de Janeiro, em 1934, onde chefia o Serviço Técnico de Ortofrenia e Higiene Mental do Departamento de Educação do Distrito Federal (1934), tendo criado o primeiro serviço de Higiene Mental aplicado à Escola, em nosso país. Contratado para professor de Psicologia Social da Universidade do Distrito Federal (1935). Catedrático de Antropologia e Etnografia da Faculdade Nacional de Filosofia (1939). Dedica-se aos estudos de psicanálise e higiene mental e, de maneira especial, pesquisa religiões e folclores negro, sendo um pioneiro do estudo das influências culturais que os negros exerceram no Brasil. Viaja, em 1940, aos Estados Unidos, onde, na Lousiana State University, ministra os cursos de Raças e Culturas no BrasileRelações Raciais.Faz palestras e conferências nas universidades de Utah, Chicago, Nova York e da Califórnia. Ao regressar, funda a Sociedade Brasileira de Antropologia e Etnologia (1941), da qual foi presidente. Presta concurso com a tese A Organização Dual Entre Os Índios Brasileiros, para professor-titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e assume a cátedra de Antropologia e Etnologia da Faculdade Nacional de Filosofia (1946). Em 1949, é convidado pelo diretor geral da UNESCO, Jaime Torres Bodet, a dirigir o Departamento de Ciências Sociais da instituição, assumindo o cargo em 11 de agosto, em Paris. Preside, em Oslo (Noruega), a instalação da Conferência da Associação Internacional de Sociologia. Defende, na Conferência Geral da UNESCO, em setembro, em Paris, o programa do Departamento de Ciências Sociais. Elabora e apresenta o programa daquele Departamento, para 1951, contendo inovações, aprovado unanimemente pelo Conselho Executivo, e, pela Conferência Geral, realizada em Florença, em maio de 1950. Promove, em dezembro deste último ano, a reunião de Comitê de Peritos Internacionais Sobre Relações de Raças na UNESCO, em Paris. Organiza o Bulletin International de Sciences Sociales, da Unesco n.º 34. (Gazeta - Bulletin Officiel de l-unesco). Por várias vezes, ministra cursos em universidades estrangeiras, principalmente nos Estados Unidos, onde foi Special Lecturer in Sociology da Luisiania State University, de agosto de 40 a maio de 41; em North Western University, ocupou o lugar de Honorary Research Associate in Antropology, recebendo o diploma de membro da Association for the Study of Negro Life and History. Muitas das suas obras, traduzidas e reimpressas, fizeram-no conhecido como autoridade em africanologia. Morre de síncope cardíaca. Sócio-correspondente do IHGAL, em 1933, e, ainda, patrono da cadeira 55 da mesma instituição. Pseudônimos; João do Pilar, Um Pilarense, Max e Theobald Kossloff. Patrono da Cadeira 24 da ACALA e da cadeira nº 21 da APHLA Internacional. Obras: Carta, seu primeiro trabalho literário, publicado em O Pilar, em 1918; Primitivo e Loucura, Tese de psiquiatria, com a qual obteve a láurea "Alfredo Brito", da Faculdade de Medicina, Bahia: Imprensa Oficial do Estado, 1926; A Perícia Médico-legal na Avaliação da Potentia Coendui, Salvador: Faculdade de Medicina, UFBA, 19 - separata da Gazeta Médica da Bahia; A Sordície nos Alienados - Ensaio de uma Psico-patologia da Imundice, tese para docência livre de Clinica Psiquiátrica, Bahia: Livraria e Tipografia do Comércio, 1928; Uma Orientação Bio-Dinámica e Evolucionista da Psicanálise: Smith Ely Jeliffe e Sua Obra, Rio de Janeiro: Sodré, 1931; Estudos de Psicanálise, Bahia: Livraria Cientifica, 1931; Os Horizontes Míticos do Negro da Bahia, Introdução ao Seu Estudo, 1932; Notas de Etinologia: I - Os Instrumentos Musicais dos Candomblés da Bahia. II - O Mito de Yemanjá e Suas Raízes Inconscientes, Bahia: Escola de Aprendizes Artífices, 1932; As Novas Diretrizes da Psiquiatria, Bahia: Livraria Cientifica Argeu Costa, 1933; Educação e Psicanálise, São Paulo: Ed. Nacional, 1934; Freud, Adler, Jung, Ensaios de Psicanálise Ortodoxa e Herética, prefácio de Afrânio Peixoto, Rio de Janeiro: Editora Guanabara, (1933) Psiquiatria e Psicanálise, Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1934; Educação e Psicanálise, São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1934; O Negro Brasileiro, Etnografia Religiosa e Psicanálise, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1934; O Folclore Negro no Brasil, Demopsicologia e Psicanálise, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1935 (folclore) Introdução àPsicologia Social, Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1936; Loucura e Crime, Questões de Psiquiatria, Medicina Forense e Psicologia Social, prefácio de Josué de Castro, Porto Alegre: Globo, 1937; AsCulturas Negras no Novo Mundo, Antropologia Cultural e Psicologia Social, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, Biblioteca de Divulgação Cientifica, V.XII, 1937, traduzido para o alemão, inglês, espanhol, castelhano e tcheco; A Criança Problema, A Higiene Mental na Escola Primária, São Paulo: Ed. Nacional, 1939; Introdução à Antropologia Brasileira. (As Culturas Não Européias) 1o. v. Rio de Janeiro: Editora Casa do Estudante do Brasil - 1943, e 2o. v. Rio de Janeiro: Editora Casa do Estudante do Brasil, 1947, (uma apresentação das questões antropológicas do Brasil aborda, no primeiro volume, as culturas indígenas e as negras, e, no segundo, as culturas européias e os contatos raciais e culturais que ocorreram no Brasil) A Aculturação Negra no Brasil, São Paulo: Brasiliana, 1942; Guerra e Relações de Raça, Rio de Janeiro: Departamento Editorial da União Nacional dos Estudantes, (1943) A Família e a Escola. Conselhos de Higiene Mental aos Pais, Serviço de Publicações da Secretaria Geral de Educação; Saúde do Espírito. Higiene Mental, Rio de Janeiro: [s.n.], 1939; As Ciências Sociais e os Problemas de Após-Guerra; Rio de Janeiro: Casa do Estudante do Brasil,1944, conferência lida no salão de Conferências da Biblioteca do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, no dia 27 de abril de 1944; Las Poblaciones Del Brasil, México, Fundo de Cultura Econômica, (1944) A Organização Dual Entre os Índios Brasileiros - Tese de Concurso à Cátedra de Antropologia e Etnografia da Faculdade Nacional de Filosofia, Rio de Janeiro: Artes Gráficas C. Mendes Júnior, 1945; Estudos do Folk-lore. Definição e Limites. Teoria da Interpretação, prefácio de Roger Bastide, Rio de Janeiro: Livraria Editora Casa do Estudante do Brasil, (1951- póstuma) O Negro na Civilização Brasileira, introdução de Richard Patter, Rio de Janeiro: Livraria e Editora Casa do Estudante do Brasil, (1956) Liturgia Male e Os Estudos dos Negros e a Escola de Nina Rodrigues, ambos em Antologia do Negro Brasileiro, Porto Alegre, 1950; La Métissage au Brésil, tradução de M. L. Modiano, Paris, Hermann, 1952; Hipergenitalismo e Criminalidade, Rio de Janeiro: [s.n], 19?; Alcoolismo Crônico, Sindrome de Korsakoff e Criminalidade, Salvador: Faculdade de Medicina, UFBA. Colaborou em revistas especializadas do Brasil, Estados Unidos e Europa onde, segundo alguns, teria publicado cerca de 600 artigos. Citam-se: Os Suicídios de Crianças, in Revista de Cultura Jurídica, Bahia, 1929; A Influência Africana noPortuguês do Brasil; O Folclore Musical no Brasil e O Negro na América, publicados no Boletim de Ariel;As Culturas Negras no Brasil, inRevista do Arquivo Municipal de São Paulo, julho, 1936; Arte Negra no Brasil, in Revista Cultura, n. 2; Os Instrumentos Musicaisdos Candomblés da Bahia, julho de 1932; O Problema Psicológico do Curandeirismoin Brasil-Médico, Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1931; O Mito de Yemanjá e Suas Raízes Inconscientes, in Bahia-Médica, agosto de 1932; A Possessão Fetichistana Bahia, in Arquivos do Instituto Nina Rodrigues,[Bahia] ano I, n. 2, outubro, 1932; Os Mitos de Xangô, e Sua Degradação no Brasil, Estudos Afro-Brasileiros, Série Abolição, 6, Recife, 1988; Autos de Natal, Boletim Alagoano de Folclore, I, n. I, Maceió, 1955; As Raças Humanas e a Responsabilidade Penal no Brasil , in Gazeta de Alagoas, Maceió, 15 de maio de 1938; Un Estado Negro en el Siglo XVII, publicado em Buenos Aires; Antropologia Regional do Brasil, publicado em inglês, nos Estados Unidos; Perspectives Sur le Départament des Ciences Sociales e La Question Raciale et le Monde Democratique-, os dois últimos publicados em Paris, pela UNESCO. Com Luisa Ramos, sua esposa, assina um de seus últimos trabalhos, Monografia sobre Rendas de Bilro e sua Aculturação no Brasil, Rio de Janeiro, 1948, (Sociedade Brasileira de Antropologia e Etnologia, Publicações n. 4). Cita-se, ainda:-Debilidade Mental e Cleptomania-, -Epilepsia e Criminalidade-, "A Angústia", "O Crime dos Esquizofrênicos", "Psicose Artério-esclerótica e Reação Uxoricida", "Contribuição ao Estudo da Paranóia", "A Higiene Mental nas Escolas e Suas Bases Teóricas", -As Práticas de Feitiçaria Entre os Negros e os Mestiços Brasileiros -, "A Contrasexualidade e o Sentimento da Culpa em Pedagogia", "O Negro na Evolução Social Brasileira", "Os Furtos Escolares"; -O Folclore do São Francisco- -, -Levantes de Negros Escravos no Brasil-; -A Turbulência Infantil e Suas Causas-; -A Mentira Infantil-, -A Criança Odiada-, -Pauperismo e Higiene Mental-, -O Filho Amado e o Filho Odiado-,- O Desenho Infantil e sua Significação Psicanalítica-, "A Psicanálise na Critica de Arte", "O Psico-sociólogico do Judeu", "Tiques e Ritimias na Criança Escolar", -A Dinâmica Afetiva do Filho Mimado-, "O Problema Psicológico do Filho Único", "Contactos de Raças no Brasil-, -A Tuberculose Infantil e Suas Causas", "Manifesto Contra o Racismo", "O Nazismo Contra a Psicanálise"; "Relações de Raças e a Guerra", " O Negro Norte-americano e a Guerra", "Pré-história do Racismo", "A Criança Problema-, -O Folclore Negro no Brasil -; -Introdução à Psicologia Social-, -Os Estudos, -Antropológicos e Sociológicos do Brasil-, -As Novas Diretrizes da Antropologia-, -As Populações do Brasil-, -A Mestiçagem é Favorável ao Brasil-, -Pioneirismo Social no Brasil-, -Os Grandes Problemas da Antropologia Brasileira-, -Conceitos de Folclore, Cultura e Ethos-, -A Antropologia do Planalto Central-, -Macumba-, -Antropologia Física-, -Antropologia Cultural-, -Medidas Antropométricas nos Imigrantes Entrados Recentemente-, -Introdução à Casa das Minas-, -Formação Étnica do Brasil-, -Roosevelt e a Educação da Liderança-. No seu -curriculum vitae-, em 1945, para efetivar-se na cátedra de Antropologia e Etnologia da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, relaciona 432 trabalhos publicados, entre livros e artigos. Obra em que seu perfil é tratado por Anísio Teixeira, Ary da Mata, Egon Schaden, L. A. Costa Pinto, Lyly Lages, Manoel Diegues Júnior, Pedro Calmon, Péricles Madureira de Pinho e Roger Bastide: Artur Ramos, Rio de Janeiro, Brasil: Ministério de Educação e Saúde, Serviço de Documentação, 1952. Manuscritos de sua autoria encontrados na Biblioteca Nacional: O Feminismo em Alagoas. A Mulher em Face da Ciência Contemporânea (A Mulher a e Psicanálise). A Mulher na Cultura Primitiva e Os Horizontes Míticos do Negro na Bahia¸in Arquivos do Instituto Nina Rodrigues, abril/1932; Trabalhos citados por Lili Lages: Cantigas de Ninar, inFolclo Negro das Alagoas, Maceió: Imprensa Universitária, 1975, p. 185-190; Elly Jelliffre: a Sua Obra, in Brasil Médico,n. 17, Rio de Janeiro, 25/04/1931; Expressões Desmoralizadas, inGazeta de Alagoas, Maceió, 25/9/1938; O Negro Brasileiro (Etnologia Religiosa), Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional, 1940; As Culturas Indígenas, Rio de Janeiro: Livraria EditoraCasa do Estudante do Brasil, 1971; As Culturas Negras, Rio de Janeiro: Livraria Editora Casa do Estudante do Brasil, 1972; As Culturas Européias, Rio de Janeiro: Livraria Editora Casa do Estudante do Brasil, 1973; A Renda de Bilros e Sua Aculturação no Brasil, juntamente com Luiza Ramos; As Coletividades Anormais, de Nina Rodrigues, prefácio e notas, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1939. Recomenda-se a consulta à obra Arquivo Arthur Ramos - Inventário Analítico, Rio de Janeiro: Edições Biblioteca Nacional, 2004, na qual se listam 4.649 documentos, ou seja, correspondências do titular e de terceiros, recortes de jornais, folhetos, fotografias, originais manuscritos (éditos e inéditos), pesquisas e estudos sobre educação, medicina legal, psiquiatria, psicologia, sociologia, antropologia, folclore e etnografia.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMOS, Benedito... de Amorim  

(Maceió - AL 22/04/1953). Pintor, poeta, crítico de arte. Filho de Zélia Ramos de Oliveira Amorim. Estudou pintura com Arlete Nolasco e Lourenço Peixoto. Expôs, em 1974, pela primeira vez, no II Salão Jovem de Artes Plásticas,tendo participado, em 1987, da 1ª Mostra Semestral de Artistas Alagoanos, na Galeria Karandash, ambas em Maceió. Sua primeira individual foi em 1976 no saguão do Teatro Deodoro, e, posteriormente se apresenta, em 1983, na Galeria Espaço- PRODUBAN; em 1988, na Pinacoteca do IHGAL, 1989: Alagoas Arte Atual, Fundação Pierre Chalita, todas em Maceió. É um dos artistas divulgados no livro Arte Contemporânea das Alagoas, editado em Maceió, em 1989, sob a coordenação de Romeu de Mello Loureiro. Coordenador de Ação Cultural da Associação Comercial de Maceió. Professor de História da Arte para o Curso de Guias Regionais do SENAC, de 1992 a 2002. Toma posse em 06/09/2006 na cadeira 09 da AAL. Obras: Lamento Derradeiro, Maceió: SERGASA, 1979, pelo qual recebeu o prêmio Moinho Nordeste; Mona Lisa. Um Auto--Retrato de Leonardo da Vinci, Maceió: SERGASA, 1976; Lamento Derradeiro, Maceió: SERGASA, 1979 (contos) A Construção do Palácio do Comércio: Uma História de Bastidores entre 1919 a 1928, Maceió: EDUFAL, 2003; Um Amor Além do Tempo, Curitiba: HD Livros, 2003; Água de Chocalho, Maceió: EDUFAL/Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2012; Uma Associação de Algodoeiros, Maceió: Grafmarques,2013. Traduziu: Curso de Interpretação e Aspectos de Chopin, este último de Cortot. Participou com Lourenço Peixoto da Mostra Competitiva em Super-8 do V Festival do Cinema Brasileiro de Penedo. Colaborador da coluna Artes Plásticas, do Jornal de Alagoas, até 1976, e depois colabora na Gazeta de Alagoas, O Jornal e Tribuna de Alagoas.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMOS, Clara  

(Maceió - AL 09/11/1932 - Rio de Janeiro - RJ 07/04/1993). Jornalista, publicitária. Filha de Graciliano Ramos de Oliveira e Heloísa Medeiros Ramos. Em 1937, muda-se com sua mãe para o Rio de Janeiro. Aos 11 anos, publicou seu primeiro trabalho, um artigo na revista Leitura,com o título Uma Garota Fala dos Grandes.Iniciou sua carreira, aos dezessete anos, no jornal Correio da Manhã,no Rio de Janeiro, onde permaneceu por sete anos. Nesse período, atuou, ainda, como redatora e apresentadora de um programa na Rádio Globo. Foi redatora do Serviço Nacional do Teatro e de agências de publicidade. Sua obra, em grande parte, é dedicada à figura do pai. Obras: Mestre Graciliano: confirmação humana de uma obra, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979, com o qual recebeu o Prêmio do Instituto Nacional do Livro, em 1979; Zé da Verdade, São Paulo: Melhoramentos, 1990 (folclore) A Estrela Pisca Pisa, Nórdica, 1990; A Formigarra, livro ilustrado baseado em lendas indígenas, 1992; Cadeia, Rio de Janeiro: José Olympio, 1992; Memórias da Cachorra Baleia, 1993. Traduziu: La Fabrication des Mâles, de George Falconnet e Nadine Lefaucheur.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAMOS, Fabiane  

(AL?).Pintora. Participou da coletiva Por Obra da Mulher, na Associação Comercial, entre 17 e 30 de setembro de 2003.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9