A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

RABELO, Antônio Flávio Alves  

veja FLÁVIO RABELO.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RABELO, Eustaquio Apolinário... Pereira Torres  

(Viçosa - AL 10/1832 -? 02/1910). Deputado provincial, senador estadual, advogado.Deputado provincial nas legislaturas 1860-61- eleito pelo 3º círculo - e 70-71, eleito pelo 1º distrito, e ainda em 72-73; 74-75; 76-77; 78-79; 82-83; 84-85; 86-87 e 88-89. Desde 1870, dirigiu o Partido Conservador. Senador estadual nas legislaturas 1891-92; 93-94 e 95-96, tendo sido vice-presidente do Senado Estadual. Primeiro intendente constitucional de Viçosa. Quando o Barão de Traipu foi deposto, foicogitado para assumir a presidência do Estado, mas não aceitou. Em 1873, foi agraciado com a patente de coronel-comandante superior da Guarda Nacional.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RABENSCHLARG,RicardoS.  

(?). Escritor. Obra: Capítulo de livro: Física e Filosofia, in Mora na Filosofia - Vol. 1, João Carlos Neves de Souza e Nunes Dias, Marcus José Alves de Souza e Marcus Vinícius Matias (orgs.), Maceió: EDUFAL, 2013. p. 31-44.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAFAEL de União dos Palmares, Frei  

(AL?). Religioso da O. F. M. Obra: Moral e Medicina em Defesa da Pessoa Humana, São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1962.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAFAEL, Cícero nome literário de José Cícero dos Santos  

 (Anadia - AL 1962). Filho de José Ferreira Alves e Rosa Maria da Conceição. Obras: Pedaços de Mim, 1992 (poesia) História de Anadia, Maceió: SERGASA, 1994.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAFAEL, Ildo... Vasconcelos  

(Maceió - AL 17/01/1955). Escritor, radialista, compositor, cantor, pastor. Filho de Jonas Gomes Rafael e Eulália Vasconcelos Gomes. Realizou os estudos no Colégio Moreira e Silva, Cônego Machado e Rui Palmeira. É radialista desde 1975, tendo trabalhado nas Rádios: Progresso (1975-79), Difusora (1980-97), Farol, Gazeta, Correio, A Voz (rádio comunitária) e Jovem pan AM 1020 - onde apresenta o programa SuperManhã. É fundador do Jornal A Hora. Ordenado pastor, em 2000, fundador da Igreja Cristã Casa de Oração em 2001. Presidiu os Partidos: PRONA entre 1998 e 1999 e o PMN - Partido da Mobilização Nacional de 2001 a 2009. Foi candidato, sem êxito, ao Senado Federal, em 2002, pela Coligação Frente Popular. Em 2010 disputou uma das vagas da Assembléia Legislativa, ficando na primeira suplência Compôs: ACapa do Lobo, Crente Dengoso e Guerreiros de Judá. Gravou CD, onde canta 11 faixas, inclusive três de sua autoria, com o título Ildo Rafael Canta - Contradição, Maceió: A Hora Studio2009. Obra: Pensamento Cristão, São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1999.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAFAEL, Ulisses Neves  

(Lagoa do Monteiro - PB).Escritor, cientista social.Bacharelado em Ciências Sociais, UFPB (1989) com o TCC: Manifestações Religiosas no Campo. Mestrado em Antropologia, UFPE (1997) com a dissertação: Por Amor às Almas: Um Estudo das Dissidências e Proselitismo Religioso em Quebrangulo/AL. Doutorado em Sociologia e Antropologia, UFRJ (2004) com a tese: Xangô Rezado Baixo: Um Estudo da Perseguição aos Terreiros de Alagoas em 1912. Pós-Doutorado, Universidade de Coimbra - Centro de Estudos Sociais (2009). Professor: na FAFIMA (1996), na UFAL (1994-96), na UFS (1999-2000, 2002 e 2004-12). Consultor ad-hoc, FAPEAL, desde 2005. Membro da Câmara de Assessoramento Técnica da FAPITEC/SE, desde 2011. Pesquisador na UC-CES, desde 2011 e investigador associado (2008-09). Coordenador na UFS/PROEX (1997-98). Coordenador na UFS, desde 2010. Membro do Comitê Assessor da FAPITEC/SE, desde 2011. Membro do corpo editorial da Revista Tomo (2006-13) e do Cadernos do Tempo Presente, desde 2010. Obras: Troféus, Geografia Simbólica de Zé do Chalé, juntamente com W. D. Chaves e E. Saman (orgs.), Maceió: EDUFAL, 2012; Xangô Rezado Baixo Religião e Política na Primeira República, Maceió: EDUFAL/Editora UFS, 2012,prefácio de Peter Fry. Capítulos de livro:Campo Religioso Alagoano: Um Estudo Sobre a Produção do Sagrado e O Papel das Romarias, in Arte Popular de Alagoas, Tania de Maya Pedrosa (org.), Maceió: Grafitex, 2000, v., p. 136-138 e 142-143, respectivamente; A Presença dos Negros na Historiografia Alagoana: O Discurso do Silêncio, in KULÉ KULÉ - Educação e Identidade Negra, Maceió: EDUFAL, 2004, Ângela Maria Benedita B. de Brito, Moisés de Melo Santana e Rosa Lúcia L. S. Correia (orgs.), p. 43-56; As Mulheres nos Xangôs das Alagoas, in Gogó de Emas: A Participação das Mulheres na História do Estado de Alagoas, Schuma Schumaher (org.), São Paulo: Imprensa Oficial, 2004, v. 1, p. 93-99;A Coleção Perseverança do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas e a Memória da Devassa, in Religiosidade Afro-Brasileira, Fernandes, Clara Suassuna; Barros, Rachel Rocha de Almeida e Cavalcanti, Bruno César (org.), Maceió: EDUFAL, 2008, v. 1, p. 31-35. Artigos em periódicos: Operação Xangô: Uma Etnografia da Perseguição aos Terreiros de Maceió em 1912, inEstudos Afro-Asiáticos (UCAM. Impresso), Rio de Janeiro, 2004, v. 1, p. 61-86; Conflitos Políticos e Intolerância Religiosa em Alagoas na Primeira República, in Antropolítica (UFF), 2009, v. 1, p. 203-223, 2009. O Crime em Alagoas na Primeira República, in Revista Brasileira de Ciências Criminais, 2009, v. 78, p. 514-530; O Não Dito na Obra de Arhur Ramos, in Sociedade e Estado (UnB. Impresso), 2009, v. 24, p. 491-507; La Noche de la Gran Hoguera Desvariada Revuelta Popular y Persecución Religiosa en Alagoas en la Primera República, in Vibrant (Florianópolis), 2010, v. 7, p. 7-31. Muito Barulho por Nada ou o "Xangô Rezado Baixo": Uma Etnografia do "Quebra de 1912" em Alagoas, Brasil, in Etnográfica (Lisboa), 2010, v. 14, p. 289-310; Mulheres de Vida Livre` e Feiticeiras na Imprensa Alagoana: Representações Acerca da Participação Feminina na Vida Social no Começo do Século XX, in Revista Crítica Histórica, 2012, v. 6, p. 1-11-11; A Mulher Alagoana na Primeira República: Histórias de Silêncio e Dor, in Cadernos do Tempo Presente, 2012, v. 7, p. 1-1.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAIMUNDO TAVARES nome parlamentar de José Raimundo de Albuquerque Tavare  

s (Maceió - AL 16/04/1963). Deputado estadual, prefeito. Filho de José de Medeiros Tavares e Maria Liege de Albuquerque Tavares. Primário no Centro Educacional Antônio Gomes de Barros (CEPA), Ginasial e o científico nos Colégios Marista e Guido de Fontgalland. Direito, CESMAC (1981). Foi Diretor Administrativo e Financeiro da Peri-Peri Agropecuária. Diretor Financeiro da Rádio Palmares de Alagoas. No CSA: foi Vice-Presidente (1984-85) e Presidente (1988). Jogou futebol nas categorias de base infarto-juvenil e juvenil. . Chefe de Gabinete do Governador José Tavares (1986-87). Presidente do IPASEAL (1988). Deputado estadual, pela Coligação PDC-PL-PRN-PRP, na legislatura 1991-94. Presidente da Federação Alagoana de Futebol - FAF (1996-2007). Na eleição de 1998, ficou como suplente de deputado federal, pelo PMDB. Prefeito de Junqueiro (2005-08).


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAIO, O  

-Publicação literária, satírica, joco-séria e noticiosa-, surge em Maceió, em 01/07/1873. Edição única, de responsabilidade de Inácio de Barros Acioli. Considera-se como primeira revista literária que circulou em Alagoas.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

RAIOL, Domingos Antonio, Barão de Guajará  

(Vigia - PA 30/03/1830 - Belém-PA 27/10/1912). Presidente da província, bacharel. Filho de Pedro Antônio Raiol e Archangela Maria da Costa Raiol. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito do Recife (1854). Deputado provincial e geral pelo Pará. Nomeado a 23 de junho de 1882, toma posse no Governo a 6 de julho, permanecendo até 6 de dezembro do mesmo ano. Posteriormente, preside as províncias do Ceará e São Paulo. Sócio correspondente do IHGB. Obras: Catequese de Índios no Pará; O Brasil Político, 1858; Motins Políticos ou História dos Principais Acontecimentos Políticos da Província do Pará desde o Ano de 1821 até 1835, 1884; Abertura do Amazonas, 1867; Limites do Brasil com a Guiana Francesa; Um Capítulo da História Colonial do Pará in Revista da Sociedade de Estudos Paraenses, 1894-95; Juízo Crítico Sobre as Obras Literárias de Felipe Patroni e História Colonial do Pará ambos inRevista doIHGPARÁ, 1900; Visões do Crepúsculo inRevista Ilustrada,1898.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

<< Anterior 1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9