A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

HOLANDA, Aurélio Buarque de... Ferreira  

(Passo de Camaragibe - AL 03/05/1910 - Rio de Janeiro - RJ 28/02/1989). Dicionarista, filólogo, lexicógrafo, professor, bacharel em Direito. Filho de Manuel Hermelindo Ferreira e Maria Buarque Cavalcanti Ferreira. Parte da infância foi passada em Porto de Pedras, onde viveu até 1920, quando se muda para Porto Calvo, onde estuda as primeiras letras. Inicialmente, numa escola de um professor amigo de seu pai e, depois, na escola de D. Palmira Cardoso, figura que seria, em parte, reconstituída em um dos seus primeiros contos, A Primeira Confissão.Os negócios do pai fazem com que se mudem para Maceió, em 1923. Estuda no Colégio Quinze de Março e no Ginásio Adriano Jorge. Faz o preparatório no Liceu Alagoano. Abandona os estudos e começa a trabalhar no comércio. Interessa-se pela literatura e pela língua portuguesa e começa a fazer versos. É um dos fundadores do Grêmio Literário Passos Guimarães. Publica em 05/09/1926, no Jornal de Alagoas, um soneto. No ano seguinte escreve crônicas para A República. Publica, ainda, sonetos no O Semeador. Dá aulas particulares de Português, Matemática e Inglês. Convidado passa, em 1927, a lecionar no curso primário do Ginásio de Maceió. Dedica-se à leitura, sobretudo das obras de Fialho de Almeida e Eça de Queirós. A vida melhora, financeiramente, quando passa a ser professor no Orfanato São Domingos, onde lecionaria de 1928 a 1933.Em setembro de 1928, funda a revista Maracanã, sendo Valdemar Cavalcanti um dos diretores. Nela, publicou um poema. Em 1930 fez parte de um grupo de intelectuais que exerciam forte influência literária no Nordeste, entre outros, Valdemar Cavalcanti, Graciliano Ramos - recém-mudado para Maceió, e aglutinador do grupo - Raul Lima, Alberto Passos Guimarães, Aluísio Branco entre outros. Dele participaram, também, Raquel de Queirós, José Lins do Rego e Santa Rosa, então morando em Maceió. Foi uma época significativa da vida literária e intelectual da cidade. Em 1933, muda-se para o Rio de Janeiro, mas retorna a Alagoas, no início do ano seguinte. Bacharel em Direito pela Faculdade do Recife (1936), no ano seguinte, foi Secretário da Prefeitura de Maceió e passa a dirigir a Biblioteca Municipal da cidade. Exerce, interinamente, o cargo de diretor do Departamento de Estatística e Publicidade do município. À frente desse departamento, proferiu em 1938, no cinquentenário da Abolição, conferências sobre o movimento negro. Passou a residir no Rio de Janeiro a partir de 1938 - a fim de frequentar um estágio de estatística promovido pelo IBGE, colaborando na imprensa com contos e artigos. De 1939 a 1943, foi secretário da Revista do Brasil, em sua 3ª fase. Em 1940 é contratado para lecionar no Colégio Pedro II, onde iria permanecer até 1969, inexplicavelmente sem ter feito, nesse período o concurso para catedrático.No ano seguinte, começa a colaborar no Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Em 1942, lança o seu primeiro livro de contos. Em 1947, passa a subscrever uma seção intitulada -O Conto da Semana-, no suplemento literário dominical do Diário de Notícias, do Rio de Janeiro. Mais tarde passa a ser professor de português do Curso de Preparação à Carreira de Diplomata, do Ministério das Relações Exteriores, entre 1952 e 1957. Foi comissionado pelo Itamarati para dar cursos de Estudos Brasileiros na Universidade Autônoma do México (1954-55). Desenvolveu estudos sobre a língua, tornando-se o mais conhecido dicionarista brasileiro. Em 1956 ingressa na AAL, e, em 1961, na ABL. Pertenceu, ainda, à Associação Brasileira de Escritores (1944-1949) e à Academia Brasileira de Filologia. Sócio honorário, por não residir em Alagoas, do IHGAL, empossado em 27/02/1989. Patrono da cadeira nº 18 da APHLA Internacional. Obras: Dois Mundos, Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1942 (contos - prêmio Afonso Arinos da ABL; O conto que dá título ao livro foi reproduzido na Revista da AAL, n. 11, p. 35-41, tendo ao final 27 notas e a data 1939-1941) Linguagem e Estilo de Eça de Queirós, no Livro do Centenário de Eça de Queirós, Portugal/Brasil, Ed. Dois Mundos, 1945 (ensaio; Contos Gauchescos e Lendas do Sul, (edição crítica do texto de Simões Lopes Neto, (critica, introdução e glossário - 2 v.), Porto Alegre: Globo, 1949; O Romance Brasileiro (De 1752 a 1930), Estudos críticos por 17 autores, introdução de Otávio Tarquínio de Sousa; Coordenação, notas, revisão e um estudo sobre Teixeira e Souza, Rio de Janeiro: Ed. O Cruzeiro, 1952 (história literária) Mar de Histórias, Antologia do Conto Mundial, coautoria de Paulo Rónai, (4 vls,) sendo o primeiro, Das Origens ao Século XVIII, Rio de Janeiro: José Olympio, 1945, o segundo, Século XIX- 1ª parte, Rio de Janeiro: José Olympio, 1951; o terceiro, Século XIX, 2ª parte, Rio de Janeiro: José Olympio, 1958 e o quarto, Século XIX ( 3ª parte) XX, Rio de Janeiro: José Olympio, 1963; Apresentação de Vitorino Nemésio, Lisboa, Portugália,1952 ( plaqueta ) Roteiro Literário do Brasil e de Portugal (de parceria com Álvaro Lins), Rio de Janeiro: José Olympio, 1956 (antologia em 2 v.) Território Lírico, prefácio de Augusto Meyer, Rio de Janeiro: Ed. O Cruzeiro, 1958 (ensaios) Novo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, de Manuel da Cunha Pereira, do qual foi o supervisor e o prefaciador, Rio de Janeiro: Livro Vermelho dos Telefones, 1953; Antologia dos Poetas Brasileiros: Fase Romântica, de Manuel Bandeira, Revisão Crítica, em Consulta com o Autor, por Aurélio Buarque de Holanda, Rio de Janeiro: Tecnoprint Gráfica, 1967; Vocabulário Ortográfico Brasileiro de Acordo com a Ortografia Oficial, Rio de Janeiro: Ed. Bruguera, 1969; Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1942, (várias edições sucessivas) Enriqueça o Seu Vocabulário, São Paulo: Cultrix, 1958; Antologia da Língua Portuguesa, colaboração com Álvaro Lins, Rio de Janeiro: Ed. José Olympio, 1966, 2 tomos; Novo Dicionário da Língua Portuguesa - Aurélio, 1975, Nova Fronteira (edições sucessivas) Minidicionário da Língua Portuguesa, assistentes: Margarida dos Anjos, Elza Tavares Ferreira, Marina B. Ferreira, Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1977; Seleta em Prosa e Verso, Rio de Janeiro: José Olímpio Ed. em convênio com o INL/NEC, Brasília, 1979 (organização, estudos e notas do Prof. Paulo Rónai) Cadeira Um, Bernardo Elis e Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, Rio de Janeiro: Livraria Editora Cátedra, 1983; O Fabordão: Crônica de Vários Assuntos, de João Ribeiro, prefácio de Augusto Meyer, revisão crítica e notas de Aurélio Buarque de Holanda; Antologia do Conto Húngaro, Paulo Rónai, revisão de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, prefácio de João Guimarães Rosa, Rio de Janeiro: Topbooks, 1998, 4ª. edição; Dicionário Infantil da Língua Portuguesa, 1989, ilustrado;Dicionário Aurélio Básico da Língua Portuguesa, 1998. Fez a revisão crítica do Panorama do Movimento Simbolista Brasileiro, de Andrade Murici, e também das antologias da fase colonial, de Sérgio Buarque de Holanda e das fases romântica e parnasiana, de Manuel Bandeira. Com o conto Acorda, Preguiçosa, participou da Antologia de Contistas Alagoanos de Romeu de Avelar, Maceió: DEC, 1970, pg. 155-161 e, também, com o conto Dois Mundos participou de Os Contos de Alagoas - Uma Antologia, de Antônio S. Mendonça Neto, Maceió: Ed. Catavento, 2001, p. 47-54; com Cantiga de Sapos, Noite e Solidão participou de Notas Sobre a Poesia Moderna em Alagoas, Antologia, de Carlos Moliterno, p. 102-107; com Dois Mundos participou do livro Contos Alagoanos de Hoje, São Paulo: LR Editores Ltda. 1982, seleção, prefácio e notas de Ricardo Ramos e ilustrações de Pierre Chalita; Pequenos Poemas em Prosa - Morte Heroica, de Charles Baudelaire, Revista da AAL, n. 3, p. 29-32; Retratos de Amantes de Charles Baudelaire, Revista da AAL, n. 4, p. 53-56; Reflexões Sobre José Lins do Rego, Revista da AAL, n. 05, p. 145-153; Três Versões de um Poema de Verlaine, Revista da AAL, n. 6, p. 131-141; Retrato de Minha Avó, Revista da AAL, n. 7, p. 47-52 (conto) Filho e Pai, Revista da AAL, n. 8, p. 83-91 (ficção) Linguagem e Estilo de Simões Lopes Neto, Revista da AAL, n. 9, p. 75-80; Zé Bala, Revista da AAL, n. 10, p. 33-52, (conto) Revelações Sobre José Lins do Rego, Revista da AAL, n. 15, p. 361-369; O Chapéu de Meu Pai, 3ª edição, reduzida de Dois Mundos, Brasília: Editora Brasília, 1974.O Chapéu de Meu Pai está publicado, ainda, na Revista da AAL, n. 13, p. 99-107; Com Paulo Rónai, entre 1947/1960 publicou, no Suplemento Literário do Diário de Notícias (RJ) o Conto da Semana, Revista do IHGAL, v. 37, 1981, transcreve as homenagens do IHGAL e da AAL aos 70 anos de ABH: Saudação a Mestre Aurélio, de Aloysio Galvão, em nome da UFAL; entrevista com Arnoldo Jambo p. 205-16; saudações de Carlos Moliterno, Ilza Porto e Solange Lages; Aurélio Buarque de Holanda. Um Símbolo da Lexicografia Brasileira, Maceió: SERGASA, 1990.Colaborou em Novidade e Jornal de Alagoas.Fez a Apresentação. in Profecia das Águas, de Freitas Cavalcanti, Brasília: Senado Federal, p. 11-12, 1985; a Introdução, na 3ª. edição de O Missionário, de H. Inglês de Souza, Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1946, p. I a XVI; Poesia de Todos os Tempos, Grandes Vozes Líricas Hispano-Americanas, seleção e tradução, Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1990, edição bilíngue, apresentação de Marina Baird Ferreira ( edição póstuma). Discursos de Posse e de Recepção: Sucessão de Magalhães de Azeredo, Separata do 19º. volume de Discursos Acadêmicos, Marques Rebelo e Aurélio Buarque de Holanda, [ s local] [s. ed.] 19-. Discurso de Posse na Academia Brasileira de Letras, seguido de Discurso de Recepção pelo Acadêmico Rodrigo Otávio Filho, Rio de Janeiro: Edições O Cruzeiro, 1964; Discurso de Posse e de Recepção, Sucessão de Magalhães de Azevedo (28/05/1968), Rio de Janeiro, 1972, Separata de Discursos Acadêmicos, Rio de Janeiro, 18º v. 1972; Discurso de Marques Rebelo p. 11-27 na posse de Aurélio Buarque de Holanda. p. 29-58, 1972; Discurso de Posse e de Recepção, na Academia Brasileira de Letras, recebendo Ciro dos Anjos, Rio de Janeiro, 1972 (separata).Traduziu: Meu Coração Desnudado de Charles Baudelaire, Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1981. Traduções: Os Gazéis, de Hafiz, Rio de Janeiro: José Olympio, 1944; O Jardim das Rosas, de Saadi, Rio de Janeiro: José Olympio, 1944; As Pombas dos Minaretes, de Franz Toussaint, Rio de Janeiro: José Olympio, 1945; O Caminho da Perdição, de Upton Sinclair, Rio de Janeiro: Ed. O Cruzeiro, 1945 - em colaboração com Olívia Krähenbühl; Vinho, Vida e Amor, de Saadi & Hafiz, Rio de Janeiro: José Olympio, 1946; Poemas de Amor, de Amaru, Rio de Janeiro: José Olympio, 1949; Pequenos Poemas em Prosa, de Charles Baudelaire, Rio de Janeiro: José Olympio, 1950; Amor e Psique, de Lúcio Apuleio, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1956 - em colaboração com Paulo Rónai; Sete Lendas, de Gottfried Keller, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1960 - também em colaboração com Paulo Rónai; Servidão e Grandeza Militares, de Alfred de Vigny, Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1960, ainda em colaboração com Paulo Rónai.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDA, Clóvis... de  

(Quebrangulo - AL 19/09/1892 - Recife - PE 1914). Poeta. Viveu grande parte de sua vida em Viçosa. Faleceu quando cursava o 4º ano de Direito. Publicou-se: Germinal, Recife, 1921 (poesia).


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDA, Francisco da Rocha  

(? ). Deputado estadual na legislatura 1915-16.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDA, Francisco... Costa  

(União dos Palmares - AL 03/04/1951). Deputado estadual pela Coligação PDT-PTB-PMDB-PSC-PFL-PMN-PSB-PT do B, na legislatura 1990-94. Suplente, pelo PSC, na eleição de 1994. Suplente de Deputado Estadual nas eleições 2014 pelo PP (Partido Progressista).


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDA, Jacinto Buarque de  

( ? ). Deputado estadual na legislatura 1905-06.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDA, Ângela Maria Ribeiro  

(Viçosa - AL 31/05/1958). Escritora, professora. Filha de Dermeval Holanda Cavalcante e Izalrina Ribeiro Holanda. Cursou, no Grupo Escola 13 de Outubro o ensino fundamental da 5ª a 8ª séries. Formação para magistério no Colégio Normal Joaquim Diégues, concomitante com o curso técnico contábil na Escola de Comércio de Viçosa. Mudou-se para Maceió onde se graduou em Educação Artística, Licenciatura curta, CESMAC (1980). Graduação em Educação Artística - Desenho, CESMAC (1985) e em Pedagogia, CESMAC (1998). Especialização em ensino religioso, UFAL (1999) com o TCC: A Religiosidade Como Objeto de Estudo no Ensino Religioso: Uma Questão em Debate. Fez concurso em 1980 para a cidade de Coqueiro Seco, onde ficou por dois anos. Professora na SEE/AL, desde 1980. Colaboradora do Grupo de Reflexão do Ensino Religioso, CNBB (1995-2006). Colaboradora no Colégio Batista Alagoano - CBA (1997). Consultora, SEMED (1997). Colaboradora na FUNDEPES (2006). No Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso - FONAPER: Colaboradora (2000-04) e desde 2006. Obras: Ensino Religioso - Aspectos: Legal e Curricular, juntamente com Sérgio Rogério Azevedo, Rosa Lydia Teixeira Corrêa, São Paulo: Pia Sociedade Folhas de São Paulo - Paulinas, 2007.; O Ensino Religioso na Nova LDB, juntamente com A. S. T. Ribeiro, A. P. Figueiredo, L. O. Sena, I. J. Nery, Lurdes Caron, Petrópolis: Editora Vozes, 1998. Capítulos de livros: Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso: O Currículo do Ensino Religioso em Debate, com Anísia de Paulo Figueiredo, Sérgio Rogério Azevedo Junqueira, Lurdes Caron, L. O. Sena, Adecir Pozzer, Remi Klein, Edvaldo José Bortoleto, Rosa Gitana Krob Meneghetti, Maria Azimar Fernandes Silva, Darcy Cordeiro, in Diversidade Religiosa e Ensino Religioso no Brasil: Memórias, Propostas e Desafios. Adecir Pozzer; Elcio Cecchetti; Lilian Blanck de Oliveira; Remí Klein (org.), São Leopoldo, Nova Harmonia, 2010, v. 1, p. 51-62. Artigos em periódicos: O Ensino Religioso na Rede Pública de Alagoas, São Paulo: Paulinas, 2003.; Ensino Religioso como Área de Conhecimento, 2005; Fenômeno Religioso e Religiosidade, in Revista de Educação. AEC, 2006, v. n. 138, p. 24-31; Aspectos Legislativos do Ensino Religioso Brasileiro: Uma Década de Identidade, com Sérgio Rogério Azevedo Junqueira, Rosa Lydia Teixeira Corrêa in Religião e Cultura, Editora PUC/SP - Paulinas, 29 out. 2007, v. VI, p. 9 - 42; Ensino Religioso no Contexto das Legislações: Entre Conquistas, Desafios e Perspectivas, com Sérgio Rogério Azevedo Junqueira, Lurdes Caron, in Revista Pistis e Praxis Teologia Pastoral, Curitiba-PR, 31 dez. 2010, p. 291 - 308. Boletins Eletrônicos: Os Professores de Ensino Religioso Recebem Orientações Pedagógicas e Administrativas de Quem?, 2005; Qual a Linguagem Pedagógica Para o Ensino Religioso?, 2005; Como é Admitido o Professor de Ensino Religioso na Rede Pública?, 2005; Existe Avaliação no Ensino Religioso? Como acontece?, 2005.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLANDESES EM ALAGOAS  

veja GUERRA HOLANDESA.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLLANDA, Eduardo Antônio Macedo  

veja DUDU HOLLANDA.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLLANDA, Gabriela nome literário de Gabriela Hollanda Ferreira de Farias  

 ( Maceió - AL 29/10/1994 ). Escritora. Obra: Monocromático, Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2015.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

HOLOFOTE, O  

nome original HOLOPHOTE, O. Jornal "crítico e noticioso", surge em Maceió em 04/10/1896. Publicado aos domingos. Diretor e proprietário: Júlio Ramos Soares. Impresso na Tipografia de O Mercantil.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6