A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

FALCÃO, Ehrlich  

(Maceió - AL 28/03/1945). Escritor, engenheiro, professor. Filho de Renan Falcão e Helena Cavalcanti de Albuquerque Falcão. Ginasial e colegial no Colégio Estadual de Alagoas (1961 e 1964, respectivamente). Graduação em Engenharia Civil, UFAL (1973). Especialização em Planejamento de Transporte e Engenharia de Tráfego, UFAL (1981). Mestrado em Curso de Pós-Graduação em Tecnologia, CEFET/RJ (2002) com a dissertação: O Papel da Matemática no Ensino Profissional: Um Estudo de Caso na Disciplina Construção de Estradas na ETFAL. Doctor em Ciencias de la Educación: Universidad Tecnológica Intercontinental, Facultad de Postgrado, Paraguay (2012) com a tese: A Seleção de Conteúdos em Disciplinas Técnicas: Traçado e Projeto Geométrico em Rodovias. Engenheiro Rodoviário, DER-AL (1974-93). Engenheiro, PMM (1975-88). Professor no IFAL, desde 1993. Obra: Capítulo de livro: A Seleção de Conteúdos em Disciplinas Técnicas: Traçado e Projeto Geométrico em Rodovias, in Reflexões Acadêmicas: Práxis Educacionais de Quatro Engenheiros, juntamente com Romildo José de Souza, Antenor Farias Barbosa e Paulo Jorge de Oliveira (orgs.) São Paulo: PoloBooks, 2014, p. 44 - 84. Artigo em periódico: Mercado de Trabalho: Uma Visão Crítica, juntamente com A. J. Oliveira, M. F. C. L. Acioli, M. F. Viana, N. E. Q. Lima, R. M. Andrade, in Revista Educação Tecnológica, ETFAL, 06/11/1995, p. 29 - 35.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Fernando Antônio Jambo Muniz  

(Maceió - AL 01/12/1971). Escritor, professor, advogado. Estudou no Colégio Marista. Graduação em Direito, CESMAC (1997). Especialização em Direito Empresarial, FGV (2004) com o TCC: Natureza Jurídica da Atividade Advocatícia, Responsabilidade Civil do Advogado e a Inaplicabilidade do CDC, na Interpretação do Superior Tribunal de Justiça. Mestrado em Direito, UFAL (2010) com a dissertação: Propriedade Industrial e Saúde Pública: A Utilização das Flexibilidades do Acordo Trips Como Meio de Efetivação do Direito de Acesso a Medicamentos. Professor na Academia de Polícia Civil (2002). Professor na FAMA (2003-06). Professor na Faculdade de Administração de Maceió (2004-08). Professor na ESMAL (2008). Professor no CESMAC, desde 2005. Professor na UFAL, desde 2003. Advogado do Martins, Ferreira, Falcão Advocacia. Artigos em periódicos: A Liberdade de Imprensa e o Desrespeito às Garantias Constitucionais: Uma Análise do Caso Suzane Richthofen, in Jus Navigandi (Teresina), 2006, v. 1029, p. 8299; Modificações no Processo Penal nos Crimes de Competência do Juízo Singular e Adequação do Poder Judiciário, in Jus Navigandi (Teresina), 2008, v. 1965, p. 11972.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Fernando Antônio da Silva  

(Maceió - AL 10/07/1965). Advogado, magistrado, professor. Estudou o 1º. Grau nas Escolas Estaduais Mario Broad e Rosalvo Lobo; o 2º grau na Escola Técnica Federal. Inicia o curso de Direito na UFAL e termina no CESMAC. Técnico judiciário do TRT da 6ª. e da 19ª. Região. Inicia-se na magistratura como Juiz de Trabalho na Bahia. Posteriormente, por permuta, passa a atuar no TRT de Alagoas. Professor do Direito do Trabalho na CESAMA/Arapiraca, bem como da CESAMA Presidente da AMATRA XIX no período 2008-12. Com as poesias Do Amor e da Amizade, Para Todos os Dias Internacionais das Mulheres e Retrato em Plural, participou de Justiça à Poesia, Coletânea TRT 19ª. Região, Maceió: TRT 19ª Região, 2001, p. 57-61, organização de Simone Moura e Mendes, Marta Angélica de Oliveira Santos Martins e Sandra Magalhães Salgado.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Hildebrando Martins  

(Igreja Nova - AL 25/10/1904 ). Deputado federal, poeta, jornalista, professor. Estudou no Colégio Diocesano de Maceió e ingressou em seguida na Faculdade de Direito de Salvador, vindo a bacharelar-se no Rio de Janeiro (DF). Ainda estudante, iniciou a carreira de jornalista, colaborando com o Diário da Bahia e, no Rio de Janeiro, com A Esquerda e A Batalha. Mais tarde fundou O Tempo, que deixou de circular em 1930. Militante da Aliança Liberal, no Rio de Janeiro, por sua atuação na imprensa oposicionista e em comícios, sofreu várias prisões. Retornou então a Alagoas, para chefiar o movimento aliancista. Radicado em Penedo, reorganizou o jornal A Semana, que pouco depois foi empastelado por situacionistas estaduais. Preso e expulso de Alagoas, refugiou-se em Minas Gerais. Nomeado professor da Escola Normal de Rio Branco (MG), colaborou em diversos jornais do estado. No auge da campanha aliancista em Minas, foi encarregado pelo presidente Antônio Carlos de assumir a direção do jornal O Libertador, em Mar de Espanha (MG). Na Revolução de 1930, participou como oficial combatente e após a vitória das forças revolucionárias, voltou a transferir-se para Alagoas onde integrou o governo estadual chefiado pelo interventor Hermilo de Freitas Melro, de quem iria discordar das orientações. Ao final de 1931, ocupa uma das secretarias da Prefeitura Municipal de Niterói (RJ). Nomeado Fiscal do Imposto do Consumo, posteriormente. Nas eleições de outubro de 1934, elegeu-se deputado à Assembleia Legislativa alagoana como candidato sem partido. Interrompido o seu mandato pela instauração do Estado Novo, retornou às funções de fiscal, trabalhando no estado do Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul, onde foi inspetor-geral e, depois, em São Paulo. Elegeu-se suplente de senador na legenda do PSD, no pleito suplementar de janeiro de 1947, na chapa encabeçada por Pedro Aurélio de Góis Monteiro. Nos últimos meses do governo Dutra, em fins de 1950, reeditou o semanário O ABC, juntamente com os jornalistas Murilo Marroquim, Joel Silveira e Rafael Correia de Oliveira. Nas eleições de outubro do mesmo ano, candidatou-se a deputado federal, na legenda do PSD, ficando com a segunda suplência. Logo após a posse de Vargas na presidência, foi promovido em sua carreira funcional e removido para o Rio de Janeiro, onde foi nomeado presidente da Fundação Rádio Mauá. Assume na Câmara Federal em julho de 1954, onde permanece até janeiro de 1955. Em outubro de 1955, tenta a reeleição, dessa vez na legenda da UDN. Obteve novamente a suplência e deixou a Câmara em janeiro de 1955. Mais uma vez candidato, em outubro de 1958, na legenda da Coligação Nacionalista Democrática - composta pelo PDC, o PSP, o PST e o PSB, ficou novamente na suplência, não tendo retornado à Câmara Federal.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Ib Gatto Marinho  

Veja GATTO, Ib ..... Marinho Falcão.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, José Faustino Marinho  

(AL?). Deputado estadual nas legislaturas 1901-02; 23-24; 25-26 e 27-28.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, José Marinho Muniz  

(AL ?). Deputado federal, pelo MDB, na legislatura 1971-75.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, José Reinaldo de Sá  

(Água Branca - AL 30/03/1955). Secretário de estado, engenheiro agrônomo. Toma posse, em 26/03/2002, na Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca; em 04/07/2003, na Secretaria de Regulação e Controle Social; em 25/11/2003, na Secretaria de Saúde e Bem-Estar Social; em 02/01/2004, na Secretaria Coordenadora de Desenvolvimento Humano e, em18/05/2004, na Secretaria Especializada Regional, todos os cargos no governo Ronaldo Lessa.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Luciano José Trindade  

(Recife - PE 27/05/1971). Músico, compositor, professor. Filho de Numeriano José de Araújo Falcão e Lúcia Maria Trindade Falcão. Radicado em Alagoas desde os cinco anos. Desde os quinze anos compõe de Rock a Samba, de Bossa a Blues. Compôs mais de 100 canções, sozinho ou com parceiros. Graduação em Administração, UFAL (1996). Graduação em Música Licenciatura, UFAL (2008) com o TCC: A Gaita na Educação Musical - Análise de Duas Propostas de Ensino da Gaita. Especialização em andamento em Metodologia do Ensino de Artes, Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER (2010) com o TCC: A Gaita na Educação Musical. Outros cursos: Abordagens em Apreciação Musical p/ o Ens. Fundamental, Associação Brasileira de Educação Musical Nordeste (2005) Musicoterapia, UFAL (2005) Percepção Musical, UFAL (2005) Oficina de Improvisação Musical, SESC (2005) Elaboração de Projetos Audiovisuais, SEBRAE-AL (2006) Curso Intensivo sobre Harmônica Cromática, Ronald Silva (2006) Instrumentos musicais, SEBRAE-AL (2007) Minicurso de Tecnologia Musical, SESC (2007) Regência, SESC (2008) Master Class de Alaúde e Oficina de Rítmica Dalcroze, UFAL (2008) Eu Faço Cultura - Oficina de Música, CEF (2008) Intel - Educar, SENAI (2008). Professor na Escola de Ensino Fundamental 31 de Março, Arapiraca, desde 2010 e no Colégio Objetivo, desde 2012. Integrou as Bandas: Segredo de Estado, 1996-98 e Máfia Nordestina, 1998-2003. CDs: Banda Segredo de Estado - O Homem de Chapéu, Maceió (1997) Banda Segredo de Estado - Segredo, Maceió (1998) e Banda Máfia Nordestina - Ensaio, Maceió (2000). Vídeo: Máfia Nordestina, (1999), todos CD´s e Vídeos são produções independentes do autor. Composições gravadas: Homem de Chapéu; Naturalmente; Vamos Voar e Sempre Correndo pelas Bandas Segredo de Estado e Máfia Nordestina; Deixa o Sol Entrar por Myrna Araújo para o FEMUSESC 2008; A Cada Dia e Em Cada Um, por Lara Melo; Agradeço, por Andressa Lira e Coração Navegante, pelo Quarteto Malacada.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Pablo Ricardo de Lima  

(? ). Escritor, professor. Graduação em Direito, Faculdade de Direito de Caruaru (1995). Mestrado e Doutorado em Direito, UFPE (2007 e 2012). Professor: na SAPERE AUDE, desde 2007; na UNICAP (2011-13) e FNR, desde 2012. Artigos em periódicos: Responsabilidade Civil por Danos Causados ao Nascituro pela Gestante: Existe Perspectiva de Reparação com o Novo Código?, in Revista do Ministério Público de Alagoas, Maceió: UFAL, CCJUR, 2006, N. 17, Julho/dezembro, p. 131 - 145; Anencefalia e Direito no Brasil Contemporâneo: Uma Análise Retórica, in Revista de Estudos Sócio-Jurídicos da SEUNE, 2008, v. 1, p. 131-157.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9