A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

FACULDADE SÃO TOMÁS DE AQUINO - FACESTA  

Em 2000, o Bispo de Palmeira dos Índios, , coadjuvado por sacerdotes e leigos, criou uma entidade civil denominada Fundação Educacional Dom Fernando Iório Rodrigues, tendo como mantedora da IES. Paralelamente ao ato de natureza civil de criação da mantenedora, foi editado, no dia 05 de dezembro de 2000, um ato de natureza jurídico-canônica, em que a autoridade diocesana -cria, instala e edifica- a Faculdade São Tomás De Aquino - FACESTA, designando-a como órgão integrante da Fundação Educacional Dom Fernando Iório Rodrigues, com o objetivo de formar e qualificar profissionais. A Fundação era dirigida pelo Bispo, que deu nome a Fundação, substituído pelo Padre Antonio Melo de Almeida, seu Vice-Presidente e fundador. Trata-se de uma Instituição Confessional, ligada a Igreja Católica, sempre, sob a chancela do Bispo Diocesano. Assim, com a posse do novo Bispo, passa a ser seu Grão Chanceler da Fundação, D. Dulcênio Fontes de Matos. Colabora com a formação de centenas de professores, tecnólogos, graduados e auxilia municípios da região na formação continuada de seus servidores.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FACULDADE SÃO VICENTE - FASVIPA  

Mantida pela Sociedade Educacional e Assistencial da Paróquia de Pão de Açúcar, entidade que há mais de 50 anos realiza trabalhos sociais no município de Pão de Açúcar, Palestina e São José da Tapera. A Sociedade tem como objetivo principal promover as comunidades oferecendo condições de ensino , moradia e prestação de serviços de âmbito geral. Essa responsabilidade social data desde 1953, onde em parceria com a Legião Brasileira de Assistência/Alagoas começou a ofertar atendimento e acompanhamento para gestantes e crianças. A partir de 1966 com a chegada das irmãs Franciscanas de Santo. Antonio, congregação Holandesa, as ações foram a cada ano sendo ampliadas, a instituição implementou a Educação Infantil e em 1971 chega a Pão de Açúcar o Monsenhor Petrucio Bezerra de Oliveira, que assume a presidência da sociedade e juntamente com as irmãs Odiliana Smits, Clementina Woutres e Redempta Bogers, ampliam todo contexto empresarial da sociedade com a implementação do Ensino Fundamental completo, implantação da Educação Profissional Técnico em Enfermagem,Técnico em Agropecuária e o Ensino Médio. Constrói dois conjuntos residenciais um para idosos e o outro para famílias carentes, quatro auditórios que disponibiliza para a população e dez creches. Oferece atualmente Educação Básica em todas as modalidades com Educação Profissional Técnico em Enfermagem no Colégio São Vicente em Pão de Açúcar, Educação Básica em todas as modalidades com o Curso Profissional na Modalidade Normal, na Escola João Paulo II, em São José da Tapera.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FACULDADE TIRADENTES - FITS  

Credenciada pelo MEC através da portaria nº 963 de 28 de abril de 2006, mantida pela Sociedade de Educação Tiradentes, com oferta inicial dos cursos de Serviço Social, Administração e Ciências Contábeis. Início das atividades em 1º de agosto de 2006, em instalações provisórias no então Shopping Iguatemi, e em agosto de 2007, inaugurou do Campus Amélia Maria Uchôa, no bairro Cruz das Almas. Oferta ainda os cursos de graduação em Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Odontologia e Psicologia, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Petróleo, Engenharia de Produção, Engenharia Mecatrônica, Arquitetura e Urbanismo, Direito, Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Através da Portaria nº 795 do MEC, passa a denominar-se Centro Universitário Tiradentes.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FAGUNDES, Rita de Cássia  

(AL? ). Escritora. Mestranda em Educação da UFS. Obra: Capítulo de livro: Pesquisa de Sentidos Sobre a Atividade Educativa, juntamente com Manoel Mendonça Filho e Dante Andrade e Santos, in A Pesquisa Educacional e as Questões da Educação na Contemporaneidade, Maceió: EDUFAL, 2010, Miguel André Berger (org.) p. 407-422.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCON, Yara Cecy -. Lins  

(Salvador - BA 09/10/1948). Escritora, militante política. Filha de Valentim Falcon Braga e Bárbara Elvira Oliveira Falcon. Iniciou a militância política na esquerda em 1967, na Escola de Geologia da UFBA. Em 1973, após tumultuada vida política, não conseguindo voltar à Escola de Geologia, fez vestibular de Economia e ingressou novamente na UFBA. Formou-se em 1977 e foi trabalhar na Secretaria de Planejamento Técnico da Bahia. Em 1978, veio para Maceió trabalhar na Secretaria de Planejamento. Militou no Movimento pela Anistia e Contra a Carestia. Em Maceió, escreveu artigos em alguns jornais locais. Em 1980, participou da fundação do PT em Alagoas. Em 1985, fez Doutorado na Espanha. De volta, em 1988, foi trabalhar na UFAL, exercendo os cargos de Coordenadora de Planejamento e de Modernização Administrativa, substituindo o Pró-Reitor de Planejamento e Administração. Em 1996, deixou a UFAL e abriu empresa de consultoria. Membro do Grupo Literário Alagoano, da AML e da Academia de Letras e Artes do Nordeste, núcleo Alagoas. Realiza trabalho voluntário como vice-presidente do Lar São Domingos. Obras: Pálidos Crisântemos, Curitiba: H. D. Livros Editora, 1999; Crisântemos Vermelhos, 2003, ambos traduzidos em japonês, espanhol; Mergulho no Passado, 2007; Nise da Silveira, em Memória Cultural de Alagoas, Maceió: Gazeta de Alagoas, 14/04/2000; Théo Brandão, em Memória Cultural de Alagoas, Maceió: Gazeta de Alagoas, 10/11/2000; Clara Charf, na série Mulheres Alagoanas, publicada na Gazeta de Alagoas de 13/07/2001; Leitura das Expressões Faciais in Revista da Academia Alagoana de Cultura, ano 4 - no. 6, Maceió: 2009, p. 143-144. A Pedra que Ronca e Tributo A Maceió, in Revista da AAC, Maceió: Editora Q Gráfica, Ano 7, Nº 9, 2012, p. 199 e 200-201; Curtos, Contos e Poemas. Citada no conto O Labirinto de Victor A. Meyer, lançado por uma editora paulista, em 2004, recebeu convite dos organizadores para escrever sobre o autor, já falecido, ex-companheiro de militância política. Seu texto saiu junto ao conto. Escreveu uma coluna literária no semanário 1ª Edição de Maceió.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Alcides Muniz  

(Ouricuri - PE 30/08/1930). Senador federal, deputado estadual, vereador, funcionário público. Filho de Lídio Marinho Falcão e Floripes da Rosa Muniz Falcão. Vereador, na Câmara Municipal de Maceió, pelo PSP, nas legislaturas 1958-62 e 1962-66. Em 1965, com a extinção dos partidos políticos e a criação do bipartidarismo, filiou-se ao MDB. Deputado estadual nas legislaturas 1966-70, 70-74, 74-78, 78-82, pelo MDB e, como suplente, em 82-86, 86-90, pelo PMDB, ao qual se filiou após a extinção do bipartidarismo, em 1979. Foi terceiro-secretário da Mesa da Assembleia, líder da bancada do PMBD e presidente regional dessa agremiação. Primeiro suplente de senador de 1991-99, eleito em 1990, na chapa encabeçada por Guilherme Palmeira, tendo ocupado a cadeira de junho a outubro de 1998. Oficial de gabinete do seu irmão, governador Muniz Falcão (1957-61). Funcionário da antiga Comissão do Vale do São Francisco.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Cláudia  

( ? ). Escritora, médica. Médica Intensivista da UTI Geral do Hospital Universitário da UFAL, da UTI Geral da Santa Casa e UTI Geral do Hospital da Unimed. Coordenadora da UTI Neurológica da Santa Casa. Médica pesquisadora da UTI Respiratório do HC - FMUSP. Mestranda pela UNISAL. Obra: Capítulo de livro: Antibióticos em U.T.I, juntamente com Maria Raquel dos Anjos Silva Guimarães, in Antibioticose Quimioterápicos Antimicrobianos, José Maria Cavalcanti Constant e André B. L. Constant (orgs.), Maceió: EDUFAL, 2013, p. 419-442.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Dirceu Belo ... de Almeida  

(Maceió - AL 18/04/1934 - Maceió - AL 24/07/1992). Professor, médico. Filho de Luiz Falcão de Almeida e Celina Belo Falcão de Almeida. Curso primário no Grupo Modelo, Externato São Luiz Gonzaga e Colégio Batista Alagoano, e ginasial e científico no Guido de Fontgalland e Colégio Estadual de Alagoas Formou-se pela Faculdade de Medicina de Alagoas (1957). Cursos de especialização em Salvador, Rio de Janeiro e, no exterior, em Bogotá, Lima, Buenos Aires, Santiago e Barcelona. Professor na área de Ciências Físicas e Naturais, Biologia e Química, no Instituto Penal, no Instituto Mota Trigueiros, no Colégio Estadual Moreira e Silva e na Escola Técnica Federal Deodoro da Fonseca. Professor, ainda, no curso superior, como assistente de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina de Alagoas e professor convidado da Escola de Medicina de Alagoas, como, também, professor-coordenador do curso de Mestrado em Cirurgia no Centro de Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Pernambuco (1976). Fundou a Clínica Cirúrgica da Casa de Saúde Neves Pinto, a Clínica Cirúrgica e Vascular e o Serviço de Cirurgia do Hospital São Vicente de Paula, em União dos Palmares, e iniciou os Serviços de cirurgia das Casas de Saúde Nossa Senhora de Fátima e São José, ambas de Arapiraca. Pertenceu à SOBRAMES-AL. Sócio fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, bem como da Sociedade Brasileira de Cancerologia e, ainda, da Sociedade Brasileira de Angiologia, da qual, em 1977, foi presidente. Membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Membro do Conselho Científico do International College of Angiology. Patrono da cadeira nº 20 da Academia Alagoana de Medicina. Obras: A Clínica Cirúrgica da Casa de Saúde Neves Pinto e a Evolução da Cirurgia em Alagoas, apresentação de Divaldo Suruagy; Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1990; Patologia e Cirurgia das Vias Biliares, Maceió: SERGASA, 1990; Temas de Patologia Cirúrgica: v. I - Angiologia e Cirurgia Vascular, Maceió: SERGASA, 1991; v. II - Cirurgia Geral, Maceió: 1991; v. III v. II ?? - Oncologia, Maceió: 1991; v. IV-Ginecologia e Urologia; Maceió: [s.ed.] 1991, todos juntamente com Selma Gomes; O Periodismo Médico em Alagoas, prefácio de Anivaldo Ayres, Maceió: [s. n.], 1992; mais de 60 trabalhos publicados em revistas médicas do Brasil e em outros países, tais como Honduras, Colômbia, Espanha e Finlândia. Apresentou cerca de 120 trabalhos em congressos, simpósios e jornadas, destacando-se: Aneurismas Bilaterais e Simétricos das Femurais, VIII Congresso Latino-Americano e 1º Venezuelano de Angiologia, Caracas, Venezuela, 1966; Carcinoide da Região Ceco-apendicular, II Congresso Norte-Nordeste de Patologia, Maceió: 1967; Varizes Esofágicas, IX Congresso Latino-Americano e I Congresso Peruano de Angiologia, Lima, Peru, 1968; A Operação de Boerema-Crile Jr. Modificada no Tratamento das Varizes Sangrentas do Esôfago, II Jornada Alagoana de Angiologia, Maceió: 1969; Tratamento Cirúrgico das Varizes do Esôfago, XI Congresso Latino-Americano e III Colombiano de Angiologia, Bogotá, Colômbia, 1972; Leiomiossarcoma do Jejuno, 1a. Jornada Alagoana de Cirurgia, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Maceió: 1973; Lesion del Linfático de la Pierna, XIII Congresso Latino-Americano Cardiovascular, Tegucigalpa, Honduras, 1976; Tratamiento Quirúrgico de las Varices Del Esofago - Consideraciones Sobre 200 Casos, XIV Congresso Latino-Americano de Angiologia e IV Congresso Argentino de Angiologia, Buenos Aires, Argentina, 1978. Escreveu cerca de 50 trabalhos em publicações especializadas, entre os quais: Câncer do Pênis; Incidência de Câncer do Colo do Útero; Carcinomas Primitivos do Fígado (Considerações Sobre Cinco Casos), todos em Arquivos de Oncologia; Complicações em Cirurgia Biliar; Síndrome do Desfiladeiro Cervical; Hérnia Crural, em Folha Médica. Colaborou no Jornal de Alagoas, Gazeta de Alagoas, na qual manteve uma coluna dominical sobre assuntos médicos intitulada -Gazeta na Medicina- entre 1963 e 1964; Gazeta Esportiva, Revista Brasileira de Cirurgia e editor e redator dos Anais da Clínica Cirúrgica, Maceió (1963-67). Ainda como estudante colaborou em O Alvorada e no O Acadêmico. Três Mestres da Cirurgia Alagoana in Revista da IHGAL, v.41, anos de 1986-1988, Maceió: 1989.Publicou-se Coleção Memorial Dirceu Falcão, organização de Guilherme Benjamin Brandão Pitta e Júlio Joaquim de Pierrin Siqueira, Maceió, Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular / Regional de Alagoas, 2009, no qual o 1º volume a vida de Dirceu Falcão, incluindo entrevistas e depoimentos, além de um capitulo sobre Dirceu Falcão e o Futebol, artigos por ele escritos, como também matérias de jornais e artigos sobre ele publicados; e, no II e III volumes, a reprodução da sua Obra Científica, na qual se republicam os livros de sua autoria.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Djalma Marinho Muniz  

(Araripina - PE 13 ou 31/12/1933). Deputado federal, secretário de estado, jornalista, conselheiro do Tribunal de Contas, prefeito de Maceió, advogado. Filho de Lídio Marinho Falcão e Floripes da Rosa Muniz Falcão. Radicado em Alagoas, bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Alagoas (1960). Segundo se depreende da leitura do D.O, de 07/09/1958 a 15/11/1958, teria ocupado o cargo de Secretário de Estado dos Negócios do Governo, no governo Muniz Falcão. Secretário de Educação e Cultura, como também de Governo (1959). Com a extinção dos partidos políticos, participou da organização do MDB, por cuja legenda se elegeu deputado federal em novembro de 1966 para a legislatura 1967-71. Em 1970 foi delegado à 59ª. Confederação Interparlamentar, realizada em Haia. Foi, nesse mesmo ano, vice-líder do MDB na Câmara. Não se candidatou à reeleição ao término do seu mandato, em 1971. Entre 1971 e 1975 foi Diretor-Geral do Departamento Estadual de Educação e Diretor-Geral da Rádio Difusora de Alagoas. Membro do Tribunal de Contas de Alagoas a partir de 1975, do qual foi presidente. Candidatou-se, novamente, pelo MDB, à Câmara, em novembro de 1978, obtendo apenas uma suplência. Assume a presidência regional do partido em agosto de 1979, e o reforça com a adesão de líderes políticos e empresariais alagoanos. Com a extinção do bipartidarismo, filiou-se ao PMDB e, nessa legenda, elegeu-se à Câmara dos Deputados no pleito de novembro de 1982, para a legislatura 1983-87. Membro da Comissão de Constituição e Justiça. Prefeito de Maceió, eleito em 1985 pela União das Oposições - formada por PMDB, PC do B e PSB. Em outubro de 1994, é eleito suplente do senador Renan Calheiros. Toma posse, em 01/01/1995, no cargo de Chefe do Gabinete Civil, no terceiro governo Divaldo Suruagy e permanece no governo Manoel Gomes de Barros. Assume o mandato de senador de abril de 1998 a julho de 1999. Entre 1997 e 1998 chefia a Casa Civil do governador Manuel Gomes de Barros. Assume o mandato de senador de abril de 1998 a julho de 1999. Secretário para Assuntos do Gabinete Civil (1995-07/97) do terceiro governo Divaldo Suruagy. Redator e Diretor do Diário de Alagoas (1957-1966). Obras: Um Homem e Seu Destino, 1959; Episódios, Brasília: Senado Federal, Coleção Machado de Assis, 1980 (Temas políticos de Alagoas e do Brasil) Resistir é Preciso, Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações 1983; Um Brasileiro Envergonhado: Discursos de Estreia Proferidos Pelo Senador Djalma Falcão, Brasília: Senado Federal, 1998.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

FALCÃO, Edna de Lima  

(?). Patrono da cadeira nº 7 da APHLA Internacional.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9