A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z

 

DACAL, Alfonso nome literário de José Alfonso Dacal Mattos Nunes  

 (Rio Largo - AL 13/09/962). Escritor,vereador, comerciante, chefe de cozinha, agente de viagens. Filho de Augusto Ramon Dacal Macias e Maria Severina Mattos Nunes Dacal. Guia de Turismo na Transamérica (1981-86). Supervisor de Receptivo na AEROTURISMO (1986-87). Guia base na Intrável Turismo - SP (1987-89). Chefe Gabinete Prefeitura de Rio Largo (1990-95). Presidente da EMDESA - Empresa de Desenvolvimento Agroindustrial de Rio Largo (1995-97). Vereador na cidade de Rio Largo (1997-2000). Comerciante de Restaurante na Massagueira e Barra Nova (2001-07). Gerente da TVT - Transamérica Viagens e Turismo, desde 2008. Presidente do GRAL Grupo de Recptivos de Alagoas e Associação das empresas de Turismo Receptivo de Alagoas, desde 2010. Proprietário da DACAL Frios e sócio da DM Turismo Náutico. Coordenador político de parlamentares da ALE e Câmara Federal (1990-2007). Publicou: Zé dos Sonhos, São Paulo: Editorama, 2008.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DACAL, Alfredo ... Macias  

(Orense, Espanha 11/06/1908 - Maceió - AL 28/02/1988). Pintor, escritor, publicitário, cenográfo, comerciante. Filho de Alfredo Dacal Rodrigues e Dolores Macias Gonzales. Primário e secundário na Espanha. Chega ao Brasil em 14/08/1825, em Salvador (BA). Estuda Desenho e Pintura, na Bahia, com Oséas Santos. Frequenta, como Aluno Livre, a Escola de Belas Artes, em Salvador (BA), entre 1928 e 1929. Passa a viver em Maceió, em novembro de 1930. Curso de Técnicas em Panificação, promovido pela ABIP - Associação dos Panificadores do Estado de Alagoas. 1932: participa de exposições coletivas, coordenadas por Lourenço Peixoto. 1978: exposição individual na Galeria Rosalvo Ribeiro. Nesse mesmo ano, pinta o retrato de Marechal Deodoro, o único até então existente na cidade natal do Marechal. Participa, ainda, de coletiva na Cultura Francesa. 1980: Individual na Galeria Miguel Torres e coletiva na Galeria Cândida Palmeira. 1981: Coletiva na Grafite. Participa do concurso, promovido pela Consultoria Geral do Estado, sobre o tema -A Justiça-, quando recebe o premio de 1º. Lugar. 1982: individual na Galeria Miguel Torrres. Trabalhou na Refinaria Leão do Norte. Foi proprietário da Padaria Panificação? Formosa. Obras: Guia de Maceió, ??; Recomeçando, romance de ficção, Maceió: IGASA, 1974 ?? (esta edição não existiria, seria o nome que a editora deu à obra a seguir: Herdeiros da Civilização Perdida, Rio de Janeiro: Livraria Editora Cátedra, 1975 ou 1974 ??).


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DACAL, Alfredo Raimundo Correa  

( AL ). Membro fundador e vice-presidente da Academia Alagoana de Medicina Veterinária, onde ocupa a cadeira nº 3. Presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (2011-14 e 2015-18)..


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAHER, Ignácio de Loiola  

( ? AL 14/08/1898 - Rio de Janeiro - RJ 17/03/1985). Deputado estadual pela GB, militar. Sentou praça em julho de 1915 ingressando na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, de onde saiu aspirante da arma de infantaria (1921). Transferiu-se para a arma de aviação, em agosto de 1930. Foi um dos pioneiros do Correio Aéreo Militar, criado em 1931. De agosto de 1935 a março do ano seguinte, foi comandante do 5o. Regimento de Aviação, em Curitiba. Já após a criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941, e sua transferência para a Força Aérea Brasileira (FAB), entre abril e dezembro de 1943, quando ocupava o posto de tenente-coronel-aviador, comandou o 3º. Regimento de Aviação em Canoas (RS). A partir desse último mês, tornou-se comandante do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica (CPOR-Aer) e, a partir de agosto de 1944, já no posto de coronel-aviador, da Base Aérea do Galeão. Deixou- os em 1946. Em setembro de 1950, foi promovido a brigadeiro-do-ar e nomeado diretor de Pessoal da Aeronáutica, função que exerceu até fevereiro de 1951. Entre 1953 e 1955 ocupou a presidência do Clube da Aeronáutica. Em julho de 1957, no governo de Juscelino Kubitschek (1956-61), assumiu o comando, já na patente de major-brigadeiro, da II Zona Aérea, com sede em Recife. Em agosto de 1958, passou a comandar a III ZA, no Rio de Janeiro, onde permaneceu até fevereiro de 1961. Em março de 1962, foi promovido a marechal-do-ar e passou para a reserva. Fez ainda os cursos de Educação Física, de Armas, e de aperfeiçoamento de oficiais superiores da Aeronáutica. Estagiou em Fort Leavenworth, EUA, e frequentou a Escola de Estado-Maior e a Escola Superior de Guerra. Foi ainda delegado do Brasil à Junta Interamericana de Defesa em Washington e adido aeronáutico nas embaixadas brasileiras nos EUA e Canadá. Nas eleições de novembro de 1966, obteve uma suplência de deputado estadual no então estado da Guanabara, na legenda da ARENA.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DALTON Costa Neves  

(Goiânia - GO 17/03/1955). Pintor. Curso de Artes Visuais na Universidade Federal de Goiás. Realiza sua primeira individual em 1975, no saguão da Faculdade de Arquitetura, Goiânia-GO. Nesse mesmo ano, participa de exposições coletivas na Casa Grande Galeria de Arte, Palácio da Cultura e Teatro Goiânia, todas na capital de Goiás. Em 1981, realiza exposição individual na Galeria de Arte Miguel Torres, e participa de coletivas na Galeria de Arte Mário Palmeira e na Galeria Grafitti, em Maceió: onde passara a residir. Em 1982, participa novamente de coletivas na Galeria Mário Palmeira e na Grafitti Galeria. No ano seguinte, inclui-se entre aqueles que compuseram o Ciclo de Artes Plásticas da Região Nordeste, 1ª Mostra de Marinhas, promovida pela EMATUR. Nesse ano participa, ainda, da Exposição de Arte Sacra, na Grafitti Galeria, e de coletiva na Galeria de Artes Miguel Torres. Participa, também, da Coletiva de Aniversário da Contexto Galeria, em Olinda-PE, do XXXVI Salão de Artes Plásticas de Pernambuco e recebe o Prêmio Pirelli - Pintura Jovem - do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Em 1984, é um dos expositores da Coletiva de Pintores Alagoanos, em Marechal Deodoro, além de participar da coletiva realizada na Galeria J. Inácio, em Aracaju - SE. Em 1985 realiza individual na Caixa Econômica Federal e participa de coletivas: no Espaço do Congresso Nacional, em Brasília-DF; na Karandash Arte Contemporânea, na Pinacoteca Universitária e na Associação de Cultura Francesa. Em 1986, expõe nas coletivas da Galeria Álvaro Santos, Aracaju-SE; na Itaú Galeria, em Goiânia -GO; na Galeria Investiart, no Rio de Janeiro-RJ e na Galeria Karandash. Nesta última realiza exposição individual, em 1987. Neste mesmo ano, com um óleo sobre tela, Natureza Morta, esteve presente na exposição realizada na Galeria Miguel Torres, trabalho que está reproduzido na obra A Nova e Novíssima Pintura Alagoana. Participou da Exposição quando da Conferência Intermediária da Associação Internacional de Universidades e da 47ª Plenária da CRUB, realizada no Rio de Janeiro, entre 01 e 05 de agosto de 1988, tendo tido o seu trabalho divulgado na obra Alagoas Hoje. Ainda em 1988 realiza individuais na Galeria Espaço, em Salvador - BA; na Galeria Marinho, Fortaleza - CE e na Karandash Arte Contemporânea. Em 1989, participa do Grande Leilão de Arte, no Grande Hotel, em Recife-PE e da exposição Alagoas Arte Atual, na FUNCHALITA. Em 1992, além de uma individual na Karandash Arte Contemporânea, participa da exposição Alagoas Hoje - Quatro Artistas Alagoanos, na Pinacoteca Universitária. No ano seguinte é um dos participantes, como artista convidado, da Exposição Hors-Lá. Em 1994, participa de duas coletivas: a realizada em homenagem a Jorge de Lima, na Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro e no I Painel SEBRAE de Arte Brasileira, em Brasília-DF. No ano seguinte, é um dos expositores do I Salão de Artes Plásticas da Bahia, em Salvador. Em 1996 realiza uma individual na Galeria SEBRAE, e expõe no 8° Salão Brasileiro de Arte, na Fundação Mokite Okada, em São Paulo. Em 1998, pela primeira vez participa de exposição no exterior: Rituals and Rythms of Brazil, na Neuhoff Gallery, em Nova York (EUA), mas também expõe em Na Trilha da Cor e da Geometria Tropical, na UNAMA, em Belém (PA), na Casa Cor 98, em Recife (PE) e no Projeto Post-Art -Cartões Postais-, em Maceió. No ano seguinte, tem seu trabalho Armazéns de Açúcar, reproduzido no Calendário Maceió É Bom Demais, promovido pela EMTURMA. Ainda em 1999 participa da exposição do Centro Empresarial RB1, no Rio de Janeiro, na exposição denominada Rumos. Participa da amostra de telas sobre velas de jangadas, em 14/12/2006, no projeto Velas Artes. Foi divulgado, ainda, no Cadastro de Artistas Plásticos Alagoanos, da Galeria Arte Maior, de Recife - PE. Foi presidente da Associação dos Artistas Plásticos Profissionais de Alagoas. Participou da V Mostra Cultural, promovida pelo Instituto da Visão, entre 05 a 14 de novembro de 2012.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAMASCENO, Alves  

veja ALVES, Damasceno.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAMASCENO, Mácléim Carneiro  

veja MÁCLEIM.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAMASCENO, Paulo Ney Rêgo  

(Santana do Ipanema - AL 16/05/1949 - Nas proximidades de São José da Tapera - AL 18/07/2015). Pintor, escultor, professor de artes. Filho de Ney Damasceno Ribeiro e Maria do Amparo Damasceno. Primário no Ginásio Santana e ginasial no Colégio Pio XII, de Santana do Ipanema e Palmeira dos Índios. Colegial no Marista - Centro Educacional de Pesquisas Aplicadas de Alagoas e o superior, na Fundação Universidade Mineira de Arte - Escola Superior de Artes Plásticas (designer) em Belo Horizonte - MG. Fez curso de Modelagem Intensivo na Escola SENAC- MG e participou de Seminários e Encontros: 1º Seminário de Comunicação Visual Intensivo, Belo Horizonte - MG; 1º Encontro Prático de Professores de Desenho, UFMG. Foi premiado na 2ª Feira Nacional de Desenho Industrial do Recife - PE; na 1ª Feira de Objetos Utilitários Regionais de Olinda - PE; Menção Honrosa no 2º Salão de Desenho e Artes Técnicas da Fundação Universidade Mineira de Artes de Minas Gerais e convidado especial da Prefeitura de Salvador na IV Feira Nacional do Artesanato Baiano, Salvador. Exposições: IAA/AL, 1969; Casa da Baronesa, V Festival de Inverno, Ouro Preto, 1972; Sociedade Israelita Participação Especial, BH, 1973; 2º lugar em Esculturas Passagem na Comemoração ao aniversário de Carlos Drummond de Andrade, Itabira - MG, 1973; Menção Honrosa no 2º Salão de Artes Técnicas da Universidade Mineira de Arte, BH - MG, 1975; II Encontro das Artes da Fundação Universidade Mineira de Artes, Palácio das Artes, BH - MG, 1977; Convidado especial da FUNARTE e MEC do Estado de Alagoas no II Encontro das Artes, Maceió - AL, 1977; Premiado em Desenho no III Salão de Cultura Francesa, Olinda - PE, 1976; Menção Honrosa, Escultura e Desenho Industrial no IV Salão da Universidade Mineira de Artes, Palácio das Artes BH - MG, 1977; 2º lugar no X Salão TRT 19ª Região de Pintores Alagoas, novembro/2005. Exposição individual de Esculturas Utilitárias, na Semana Nacional dos Museus, TRT 19ª Região, 2007.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAMASCENO, Suelmario Cordeiro  

veja SUEL.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

DAMIÃO, Edivaldo  

(AL?). Poeta. Obras: Roteiro de Viagem e Outras Poesias, Maceió: EDUFAL, 1986. Com Filosófica, participou da Coletânea Caeté do Poema Alagoano, p. 68-69.


Para alteração no verbete, faça uma solicitação pelo formulário abaixo:

:



:
 

<< Anterior 1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7 . 8 . 9